Dissertação PUC-SP, 2006
Juliana Monachesi Ribeiro

A dissertação tem como proposta investigar novos parâmetros para a crítica de arte no contexto da cultura digital, pautados sobretudo nos conceitos de hibridação e remediação , desenvolvidos, respectivamente, por Nestor García Canclini (2003) e por Jay David Bolter e Richard Grusin (2000). A partir da análise da forma como o jornalismo cultural e a crítica de arte por ele veiculado noticiam e avaliam a produção artística em novas mídias, o estudo demonstra que o jornalismo de arte no Brasil não possui as ferramentas teóricas necessárias para tratar com propriedade da arte digital, estendendo-se a defasagem epistemológica à análise de qualquer produção artística que se utiliza de, ou promove reflexão sobre, meios eletrônicos ou digitais. Finalmente, defende como uma alternativa de cobertura jornalística e análise crítica o projeto Quebra de padrão, trabalho desenvolvido pela comunidade digital de arte brasileira Canal Contemporâneo. A hipótese é a de que formas híbridas de jornalismo on-line, como aquela praticada pelo Canal Contemporâneo, estão mais aptas a contemplar a arte digital e as artes visuais convencionais tanto na camada informativa quanto na esfera reflexiva. O trabalho Quebra de padrão intitulado foi uma cobertura alternativa de uma exposição de arte em meios eletrônicos e digitais que ocorreu em 2004 no Santander Cultural, em Porto Alegre, que consistiu no acompanhamento da mostra desde a montagem até o encerramento, com material jornalístico e analítico sendo produzido, portanto, independentemente da agenda que amarra a cobertura dos veículos de comunicação convencionais. O estudo chega à conclusão de que, dada sua condição híbrida, um meio digital como o Canal Contemporâneo entende sob um ponto de vista alargado o que é comunicação, arte, jornalismo e crítica.

Download (PDF, 12.6MB)

Relate