Internet, arte e mídias táticas ≈ gênero e polifonia. Uma memória de quase vinte anos, sob a perspectiva de mulheres. Arquivos táticos compila livros e publicações sobre processos colaborativos e abertos de arte e mídia brasileiras, dos anos 2000 em diante, em uma plataforma para consulta online.

Uma modalidade de arquivamento que pode se comportar como uma editoria, um time de cura, um experimento sobre formatos e modalidades possíveis para organizar uma memória de uma cultura na rede. Uma referência didática, uma literatura específica de internet brasileira, que mantém suas especificidades: é ciberfeminista, solidária, tática e pedagógica.

Uma narrativa feminista e militante, em que o último ponto de contato se deu em uma mostra pública ARTE_VEiCULO em que coletivamente escrevem por uma linha do tempo em processo. Um laboratório, no próprio local da exposição em que as autoras e convidadas discutem saberes táticos dando ênfase a projetos que atualizam ferramentas e práticas sob uma perspectiva de gênero. Na linha do tempo, vemos textos, ensaios e sites que nos sinalizam o contexto político e as mudanças de tecnologia que marcaram eventos, encontros, cruzamentos entre arte e ativismo, assim como caminhos institucionais do desenvolvimento das redes no Brasil.

Em midiatatica.desarquivo navegamos por publicações – livros, teses e revistas, sob licenças abertas – que atualizam politicas de acesso e produção cultural no Brasil. É fruto de anos de dedicação à prática e a reflexão teórica sobre a cultura de internet brasileira.

Em um tempo em que memória, dado e lixo-ruído-noise permeiam todos os processos de nossas vidas, narrar essa memória, atualizar táticas e práticas, torna-se um enfrentamento necessário para os tempos sombrios que vivemos, se já não fosse por puro desejo de cuidado.

Arquivos Táticos é um projeto gerado a partir de uma literatura coletiva e colaborativa, e possível, graças ao empenho de autorxs e editorxs em compartilhar conhecimento e experiências através destas publicações, assim como a disponibilidade digital dos arquivos e suas devidas licenças atribuídas – notadamente livres, creative commons, copyleft ou arte livre.

Pesquisa:
Giseli Vasconcelos, Tatiana Wells, Cristina Ribas

Programadores do site:
Ricardo Ruiz e Tiago Bugarin

Desenho da cartografia visual:
Cristina Ribas e Lucas Sargentelli

Desenvolvedoras:
Adriana Veloso, Fabiane Borges, Milena Durante, Tininha Lhanos, Inês Nin, Sue Nhamandu e Elisa Ximenes